Simplesmente Terror!

 
por Ana Lívia
 
O que filmes como A Bruxa, Corra!, Corrente do Mal e Ao cair da noite tem em comum? São do gênero terror, mais precisamente, se encaixam dentro da atmosfera do terror psicológico, podendo-se citar ainda filmes clássicos como repulsa ao sexo, O Bebê de Rosemary e O Iluminado.
 
Essa conclusão bastaria se não fosse o artigo de Steve Rose, jornalista do The Guardian, que levantou uma discussão recente ao chamá-los de "pós-terror": What happens when you stray beyond those cast-iron conventions and wander off into the darkness? You might find something even scarier. You might find something that’s not scary at all. What could be emerging here is a new sub-genre. Let’s call it “post-horror”. (O que acontece quando se afasta das rígidas convenções e se deixa perambular pela escuridão? Você pode encontrar algo até mais assustador. Ou algo que nem assustador é. O que pode estar emergindo aqui é um subgênero. Vamos chamá-lo de ‘pós-terror’). 
 
O autor argumenta que os filmes mencionados na primeira linha desse texto se afastam dos clichês do cinema de horror, fugindo da mesmice dos sustos usuais frequentemente utilizados, trazendo ainda temas mais complexos e metafóricos. Seriam, portanto, filmes inovadores dentro do gênero. E que, na mesma proporção, geram um descontentamento e até mesmo frustração nos espectadores que vão ao cinema em busca de clímax e jumpscares. Para o autor, criou-se um novo subgênero do terror: o pós-terror, o terror elaborado. 
 
Etimologicamente, a palavra ‘pós’ está relacionada a algo que vem depois, que é posterior. Pode ser considera como algo que substituiu, que superou o antecessor. O futuro. A verdade é que dar ao terror um subgênero como esse, acaba-se menosprezando toda a sua história no cinema, afinal, o gênero horror sempre foi inovador e transcendente. Tratando de temas desconfortáveis para os telespectadores da mesma forma que se propõe ao gore ou aos jumpscare. Sem, necessariamente, deixar isso claro para quem assiste. 
 
O terror sempre foi mais que isso, trazendo uma série de discussões que vão além do susto previsível. Trata-se de um cinema do medo, puro e simples, que pode ser construído de uma diversidade de formas distintas, utilizando elementos como monstros, fantasmas, ET’s, lobisomens e outras criaturas alucinantes, chegando até aquela fobia instalada no nosso íntimo, o medo daquilo que somos e do que podemos nos tornar em uma situação extrema. O cinema de terror não brinca com o nosso imaginário, ele faz parte dele. 
 
O que não se pode deixar de notar é que, dentro dessa afirmativa, há um certo desprezo pelo gênero. O terror não precisa de um subgênero para mostrar que pode brincar com a natureza humana, com seus medos e paranoias, não precisa de um subgênero para instaurar uma atmosfera deliciosamente perturbadora sem apelar para os sustos precedidos de uma música de suspense como conhecemos. Dá um novo nome a isso é subestimar sua importância e menosprezar um dos gêneros mais importantes do cinema. Além disso, brincar com esses temas não é algo inédito, grandes clássicos fazem exatamente isso e nem por isso são chamados de pós-terror. Não é preciso inaugurar um novo sub-gênero quando o terror psicológico habita nossas telas há décadas. 
 
O gênero terror por si só se basta e os filmes que lidam com o psicológico e temas mais complexos e metafísicos existem desde Hitchcock e Kubrick. Não precisamos de uma classificação nova para o que já tem forma, chamar de pós-terror é desnecessário. Precisamos do terror como ele sempre foi: perturbador e divertido em todas as suas formas.


0 comentários:

Postar um comentário

 

sobre o filme-c

site dedicado ao compartilhamento/download de filmes e séries nas categorias terror, sci-fi, mistério/suspense e trash's, dos mais antigos aos mais recentes. Façam bom proveito e façam também seus pedidos :)

Termos do Site

todos os arquivos de torrent que se encontram no filme-c, estão hospedados na própria internet, fazer o download desses arquivos através do nosso site é de única e exclusiva responsabilidade tua.