INFO: O que você precisa saber sobre Ed Gein.

O trailer do novo e tão esperado The Texas Chain Saw Massacre saiu no começo dessa semana e nada melhor para comemorar isso do que falar um pouquinho dessa produção dirigida por Tobe Hooper e lançada em 1974 que é, até hoje, apontado como um dos melhores e mais assustadores do gênero.


Talvez por causa do baixo orçamento usual em produções independentes, há quem credite ao filme a origem de vários elementos comuns no slasher, como o uso de ferramentas de trabalho como armas de crime, a caracterização do assassino e a violência extrema que, aliás, fez com que o filme fosse banido em vários países e tivesse uma estreia rápida em outros, cujos cinemas logo pararam de exibir o filme em resposta à inúmeras reclamações do público.

Se a violência explícita na tela choca, a realidade por trás dela é ainda mais chocante. É isso mesmo, o filme é baseado em uma história real e, nesse post, você vai ficar sabendo um pouquinho mais sobre ela.

Leatherface, o personagem eternizado pela brilhante atuação de Gunnar Hansen na produção, foi baseado em Edward Gein, filho mais novo de Augusta Lehrke e George Gein, um alcoólatra abusivo e violento rejeitado por Ed e Henry, seu irmão mais velho.

Ed Gein, filho mais novo de Augusta e George, inspirou Leatherface e outros


Muito embora a mãe, Augusta, também rejeitasse o marido bêbado, um divórcio não era uma opção graças a sua criação extremamente religiosa, de modo que ela mesmo sustentava a família trabalhando em sua mercearia e, posteriormente adquirindo uma fazenda que se tornou morada da família Gein.

Quando não estava na escola, Gein dedicava-se a pequenas tarefas na fazenda. Sua mãe, luterana fanática, dizia aos filhos que o mundo era um lugar essencialmente imoral, que a bebida era demoníaca e que todas as mulheres eram prostitutas e instrumentos do diabo. Segundo ela, o sexo servia a uma única finalidade, o da procriação. Augusta reservava algum tempo, durante a tarde, para ler a Bíblia para os filhos, escolhendo partes do Antigo Testamento sobre morte, assassínios e castigos divinos.

Levemente afeminado, Ed havia se tornado alvo constante de intimidações na escola, muito embora o seu desempenho sempre tenha sido muito bom, principalmente no que envolvia cálculo e economia. Alguns colegas e professores lembram que Ed costumava ter ataques de riso aleatórios, como se estivesse rindo de uma piada que só ele conhecia e o descrevem como 'um sujeito estranho'. Outra recordação recorrente é a de que Ed tinha o costume de levar para casa animais mortos que encontrava na beira da estrada, no entanto, o motivo por trás desse hábito permanece um mistério até hoje.

Após a morte do pai, em 1940, os irmãos Gein passaram a trabalhar para ajudar a mãe, que corriqueiramente os insultava dizendo que se tornariam fracassados como o pai, nesse período, Ed olhava as crianças dos vizinhos em troca de dinheiro e dizia gostar disso, pois se dava melhor com crianças do que com adultos. Na mesma época, Henry começou a rejeitar a visão distorcida de Augusta, o que deixava Ed bastante aflito e os irmãos, que sempre foram bem próximos, começaram a se distanciar. Conta-se que em certa ocasião Ed ouvira Henry respondendo a mãe e disse ao irmão que ele seria condenado ao inferno se não se arrependesse e orasse.

4 anos depois, em 1944, Henry acabou falecendo em um estranho incêndio na propriedade da família. Muito embora o médico legista tenha afirmado que Henry morrera de asfixia, a polícia demorou a descartar a possibilidade de homicídio, já que o mesmo tinha manchas pretas na cabeça e o local onde foi encontrado - por Ed - não estava queimado.

Uma foto do túmulo do irmão mais velho de Ed, Henry Gein, ao lado do túmulo dos pais.

Pouco menos de dois anos depois do falecimento de Henry, em dezembro de 1945, Augusta não resiste a uma série de acidentes vasculares cerebrais e deixa Ed completamente sozinho e cada vez mais estranho. A polícia posteriormente descobriria que nessa mesma época, após começar a se interessar por cultos e fazer algumas visitas ao cemitério, ele teria começado a roubar cadáveres. Esse era, infelizmente, só o começo de uma história ainda mais macabra.

Entre as décadas de 40 e 50, a polícia do estado de Wisconsin precisou lidar com um aumento significativo no número de casos de pessoas desaparecidas. Um desses casos, no entanto, dois deles deixaram a polícia particularmente intrigada.

O primeiro deles aconteceu em 1954. Quando um agricultor chamado Saymour Lester decidiu ir até uma taverna em uma área rural perto da pequena vila de Plainfield e percebeu um silêncio incomum e algumas cadeiras reviradas, foi até uma fazenda próxima e fez uma ligação para o detetive da região. Pouco tempo depois o local estava cheio de detetives que encontraram uma mancha de sangue que ia desde a taverna até o estacionamento, além de um cartucho de uma espingarda. A teoria era que Mary Hogan, a proprietária, fora morta e arrastada até um carro. Embora investigações mais precisas tenham sido feitas no local, nenhuma pista do assassino foi encontrada.

A taverna de Mary Hogan

Sobre esse caso, Elmo Ueec, um fazendeiro local e vizinho de Ed conta que certa vez, após uma tarde de trabalho, ambos conversaram sobre o desaparecimento que havia parado a cidade. Ueeck brincou com o vizinho dizendo que 'se ele tivesse passado mais tempo cortejando Mary, ela estaria cozinhando para ele ao invés de estar desaparecida', ao que Ed, revirando os olhos e farejando como um cachorro, prontamente respondeu com 'Oh, ela não está desaparecida, ela está lá em casa agora!'. A confissão, no entanto, foi vista como apenas mais uma brincadeira do excêntrico Ed Gein.

Pouco mais de um ano depois, a temporada de caças havia acabado de começar quando Frank Worden, vice-xerife, retornou da floresta e foi diretamente para a casa de ferragens Worden's, propriedade de sua mãe, Bernice Worden. Para a surpresa de Frank, ela não estava lá e sua falta já tinha sido notada pelos moradores que estranharam encontrar a loja fechada. Ao entrar no local, Frank ficou chocado: A loja estava toda revirada e havia uma uma trilha de sangue que ia da porta da frente até os fundos da loja. A polícia foi acionada e os investigadores encontraram um recibo de venda de um galão de anticongelante efetuada no dia anterior. O comprador, o pacato Ed Gein, tornou-se o principal suspeito já que era, provavelmente, o último a tê-la visto.

A casa de ferragens Worden's.

Eddie foi encontrado em uma fazenda próxima onde havia almoçado e levado a delegacia para um interrogatório, mas recusava-se a falar e, quando falava, negava qualquer envolvimento no desaparecimento de Bernice.

Às 20h do dia 16 de novembro de 1957, após deter Ed Gein, o xerife Art Schley e o capitão Shoephoerster entraram em uma viatura rumando a afastada e isolada fazenda Gein. Os dois relatam que a casa era bastante assustadora e mais parecia uma casa fantasma, com a neve cobrindo boa parte dos seus arredores. Se a visão frontal da casa dava arrepios, o interior era capaz de dar pesadelos à qualquer um.

A casa de Ed Gein.

A escuridão era total e os dois policiais, munidos com lanternas, tentavam encontrar uma forma de adentrar na velha fazenda Gein, que tinha todas as portas, exceto as da cozinha, trancadas. Ao entrar, constataram que a casa não tinha eletricidade e estava muito bagunçada, mas decidiram continuar a busca mesmo assim.

O xerife Art Schley caminhou pela casa sem conseguir enxergar muita coisa além do que era iluminado pela sua lanterna, quando de repente, sentiu algo tocar o seu ombro. Schley, que ouvia os passos do seu companheiro em outro cômodo da casa, ficou petrificado. Com um frio na barriga, virou devagar, mirou sua lanterna e viu algo que deixaria até o mais durão dos homens apavorado como um garotinho.

Ed mantinha, em seu galpão, uma carcaça pendurada pelos pés. A cabeça havia sido decepada e o tronco, extirpado como o de um animal em um açougue, com um imenso corte que ia dos genitais até o pescoço. Mas aquilo não era um animal, era um humano, era Bernice Worden.

Schley levou um tempo para entender para o que estava olhando e quando finalmente voltou a si, gritou 'Meu Deus, aí está ela!' e, após isso, saiu correndo da casa, ajoelhou-se e vomitou, deixando que Schophoerster visse por si só o que havia acabado de encontrar. O capitão imediatamente chamou reforços e em poucos minutos a velha casa comprada por Augusta Gein há algumas décadas atrás está cheia de policiais com mais lanternas e lâmpadas de querosene. Ainda assim, era quase impossível caminhar pela casa e a investigação foi adiada para a manhã seguinte.

O domingo de 17 de novembro começou com uma exaustiva e arrepiante busca na casa de Ed Gein. Com a luz do sol, era possível observar que o lixo em decomposição cobria todo o chão e que era quase impossível caminhar pela casa. O cheiro de sujeira era terrível e faziam com que os policiais se perguntassem como alguém conseguia viver em um chiqueiro como aquele.

A verdade é que Ed, após a morte da mãe, decidira deixar todos os cômodos da casa tal como Augusta havia deixado, começando a viver em um pequeno quarto ao lado da cozinha e utilizando somente esses dois cômodos.

Registros feitos pela polícia da bagunça de Ed. O quarto da mãe permaneceu intacto. 

Ao continuar a busca, a polícia percebeu que o corpo de Bernice Worden podia até ser a coisa mais aterrorizante no lugar, mas com certeza não era a única. Abaixo, você pode conferir uma lista divulgada de alguma dessas coisas.

- Crânios humanos empilhados sobre um dos cantos da cama, bem como recortados e utilizados como tijelas de sopa.

- Pele humana transformada em abajures, estofados e um lixeiro, além de um sutiã, um terno, luvas e meias feitos unicamente de pele.

- Um colete de pele completo, incluindo seios, feito a partir do tronco e pronto para ser vestido que Ed posteriormente chamaria de 'Woman Suit'.

- Uma caixa contendo alguns narizes.

- Um cinto feito de mamilos.

- Um puxa-cortina feito de lábios.

- Nove vulvas guardadas em uma caixa de sapato. Uma delas estava pintada de prata e amarrada com uma fita vermelha. Essa, pasmem, era da própria mãe.

- Máscaras de pele humana de 9 mulheres, incluindo a ainda desaparecida proprietária da taberna Mary Hogan, cuidadosamente secas e preenchidas com papel, colocadas em uma parede como troféus de caça.

- O coração de Bernice Worden em um prato na mesa da sala. Sua cabeça e intestino estavam guardados dentro de uma caixa e seus demais órgãos encontravam-se dentro de uma panela sobre o fogão.

- Vários órgãos e vísceras humanas na geladeira.

- Uma caixa de aveia Quaker com pedaços de cérebros.

Uma cabeça encontrada dentro de uma caixa no meio da bagunça de Ed.

As cabeças encontradas, aliás, já haviam sido o principal assunto na pequena cidade de Plainfield quando dois jovens em busca de um trabalho avistaram esses estranhos ornamentos, que Ed dissera ser troféus de Batalhas do Mar do Sul, trazidos por um primo que havia servido a II Guerra Mundial. Na época, isso não despertou nenhuma suspeita já que todos consideravam Ed estranho demais para ter cabeças na sua parede e inofensivo demais para estar mentindo sobre a origem delas.

Imediatamente, Gein foi considerado suspeito de inúmeros outros desaparecimentos na região e sua fazenda começou a ser escavada. Ainda assim, ele inicialmente negava qualquer envolvimento nas mortes, coisa que mudou depois de um dia inteiro de silêncio e algumas agressões do xerife.

Em depoimento, Gein parecia - ou fingia - ter dificuldade para se lembrar de detalhes do assassinato de Bernice, ele se lembrava de colocar o corpo dela em sua caminhote e pegar a caixa registradora, mas não se lembrava de ter atirado com a sua espingarda.

Quando questionado sobre os outros corpos, Ed admitiu ter desenterrado a própria mãe, que idolatrava e falava com ela como se ainda estivesse viva. Além disso, ele escavou vários outros túmulos de mulheres de meia idade recém-enterradas, pois elas lhe lembravam Augusta, mas negou manter relações sexuais com os corpos exumados, alegando que 'eles cheiravam muito mal'. Segundo ele, depois da morte da mãe, ele passou a se sentir muito sozinho e quis uma mudança de sexo. Após isso, criou o que chamava de 'woman suit', que vestia para realizar tarefas como varrer a casa e cozinhar. Nessas ocasiões, ele sentía-se tão feliz que chegava a cantar e dançar.

Ed negava ter matado qualquer uma daquelas pessoas, com exeção de Bernice, no entanto, um de seus troféus, o rosto de Mary Hogan, provava o contrário. Depois de dias de um intenso interrogatório e bastante pressão, ele finalmente admitiu ter matado Mary, mas mais uma vez alegou estar em confusão mental durante o ocorrido, de modo que não se lembrava muito bem dos detalhes.

Gein foi considerado mentalmente incapaz, tendo sido enviado para o Central State Hospital e posteriormente transferido para Mendota State Hospital, em Madison - Wisconsin.

Enquanto ele estava sob cuidados psiquiátricos, policiais descobriram em sua fazenda os restos mortais de 15 mulheres. Ed afirmava que esses corpos haviam sido roubados do cemitério local. Depois de muita controvérsia sobre a moralidade de exumação dos corpos nas sepulturas que o assassino dissera ter violado, a polícia finalmente teve autorização para abrir as covas. Todos os caixões tinham claros sinais de arrombamento e, na maioria deles, faltavam partes dos corpos.

A polícia tentou de todas as formas encontrar ligações entre Ed e outros desaparecimentos e crimes ocorridos nos arredores de Plainfield, bem como ligá-lo ao possível assassinato do irmão, mas não conseguiu e Ed foi acusado por apenas duas mortes.

Em meados de 1968, pouco mais de dez anos depois, seus médicos declararam-no são o suficiente para ir ao tribunal. No julgamento, que começou em 14 de novembro do mesmo ano e durou uma semana, Gein foi considerado inimputável e passou o resto dos seus dias em um hospital psiquiátrico. Enquanto esteve detido, sua casa foi incendiada e seu carro vendido.

Ed em seu julgamento, em 1968, onde foi considerado inimputável.


O local onde a fazenda Gein um dia esteve.

Art Schley, o primeiro a encontrar o corpo de Bernice, foi um dos primeiros policiais a interrogar Gein e ficou tão impactado com a frieza brutal do assassino que o agrediu fisicamente, esmurrando a sua cabeça e empurrando o seu rosto contra um muro de tijolos, o que tornou o primeiro depoimento de Gein inadmissível. Schley morreu com um ataque cardíaco cerca um mês depois de testemunhar no julgamento. Sua família e amigos próximos afirmam que ele nunca se recuperou do horror dos crimes cometidos por Gein.

O advogado William Belter, Ed e o xerife Art Schley.

Ed morreu em 26 de Julho de 1984, vítima de falha cardíaca e respiratória decorrente de um câncer no hospital Mendota Mental Health Institute. Sua lápide foi bastante vandalizada ao longo dos anos e algumas pessoas retiravam pedaços da lápide para recordação, até que ela foi completamente roubada em 2000, tendo sido recuperada um ano depois e doada para um museu em Wautoma, Wisconsin.

A lápide de Ed Gein, bastante deteriorada.

O mais estranho é que muitas pessoas, ao longo dos vários anos desde sua morte, afirmaram ter visto Ed Gein andando em direção de sua antiga casa. Vários casais jovens alegaram terem sido abordados por um homem que se encaixa na descrição de Gein, muitos afirmam que Gein foi bater nas janelas de seus carros, e muitas dessas pessoas nem fazem idéia dessa história. Conta-se que a polícia local recusou-se a divulgar um retrato falado do homem que vinha importunando casais em seus carros porque ele se assemelhava muito à Ed Gein.

Além de Leatherface, já citado a cima, Jame 'Buffalo Bill' Gumb (O Silêncio Dos Inocentes), Norman Bates (Psicose e Bates Motel) e o Dr. Thredson (o Bloody Face, da segunda temporada de American Horror Story) foram alguns dos personagens inspirados em Ed Gein. A música Dead Skin Mask, da banda norte-americana de trash metal Slayer também faz uma clara referência à Gein.

Aqui no site, você pode baixar para assistir ao primeiro filme, baseado nessa história. Abaixo, você pode conferir o novo trailer de Leatherface, cuja estréia está prevista para o dia 20 de outubro. No entanto, depois de toda essa história a gente adverte, é possível que o vídeo nem pareça assim tão assustador...



0 comentários:

Postar um comentário

 

sobre o filme-c

site dedicado ao compartilhamento/download de filmes e séries nas categorias terror, sci-fi, mistério/suspense e trash's, dos mais antigos aos mais recentes. Façam bom proveito e façam também seus pedidos :)

Termos do Site

todos os arquivos de torrent que se encontram no filme-c, estão hospedados na própria internet, fazer o download desses arquivos através do nosso site é de única e exclusiva responsabilidade tua.